Fazer Pasteis de Nata é uma arte! Parece fácil mas não é…
Temos que fazer uma massa folhada bem estaladiça e crocante. Nas atuais pastelarias, o creme não leva natas mas sim leite e uma calda de açúcar. Mas nos antigos conventos, o original Pastel de Nata leva mesmo natas e é muito mais saboroso.
O folhado não pode ser como o do croissant. Tem que ser feito um folhado especial, feito com uma espátula de pasteleiro e as camadas de manteiga são feitas uma a uma. Isso torna a massa mais crocante e estaladiça.
O creme pode feito com casca de limão mas pouco, só para abrir os aroma. No convento de Odivelas, as receitas antigas dos Pasteis de Nata têm água de flôr de laranjeira. O sabor é diferente mas bastante especial. É muito, muito bom!
Pasteis de Nata
Pasteis de nata

Júri do concurso do melhor Pastel de Nata

Juri-pasteis-de-nata
É uma honra muito grande ser membro do júri do concurso do melhor Pastel de Nata. Não é nada fácil…
“O aspeto tem de ser apetecível e bronzeado, sem estar queimado ou esmorecido. Há que haver o equilíbrio entre a massa, que deve ser bastante quebrada e o creme, que deve ´escorrer` do pastel, sem ter gostos excessivos a canela, limão, baunilha, ou outras essências”. É desta forma que o presidente do júri da prova O Melhor Pastel de Nata de Lisboa, o gastrónomo Virgílio Gomes, elenca as caraterísticas que fazem desta especialidade uma vencedora.
Este ano foram cerca de 40 concorrentes e nota-se de ano para ano que a qualidade é muito melhor. Cada vez é mais difícil escolher o vencedor.
É uma grande responsabilidade porque o vencedor fica, de um dia para o outro, com filas de espera à porta. Toda a gente quer provar o melhor Pastel de Nata!
Tenho alunos de muitos países  a virem aprender a fazer um bom Pastel de Nata. E para mim nada é mais gratificante do que ensinar algo que leve um bocadinho de Portugal para o resto do mundo.
Sim, é verdade!
O Pastel de Nata já está um pouco por todo o mundo mas não há nada melhor do que saborear um bom Pastel de Nata em Lisboa.
É tão bom…!